sexta-feira, outubro 12, 2007

Ah! o amor



Ah! o amor,
que fruto estranho é esse que embriaga
tira-nos partes da razão
afoba-nos
remoça-nos
nos tira do controle
nos toma de gato-por-lebre
tira uma virgindade da inocência (pleonasmo)
mas é...mesmo assim
fundamento de tudo, base de tudo o que o homem faz
base dessa civilização cheia de contraditórios processos
cheia de ódio, seu irmão gêmeo,

ah! o amor, que só não se basta
carrega à tira-colo a reação a tudo que é ação,
carma e darma
bem e mal
bom e mau
noite e dia
morte e vida
medo e coragem
tudo duplo, enfim,
equilibrando uma vida polo-a-polo
começo meio e fim "ad infinitum",
Será esse o verdadeiro CARITAS UNIVERSAL?

Há dois amores?
Sinto que sim, sinto

sinto que cintos se partem, tempo poderoso, Rei, disse o Gil,

"vejam como as águas, de repente, ficam turvas!"
"Ensinai-me, ó Pai, o que eu ainda não sei,
transformai as velhas formas do viver",

ah! o amor, estranho ser entre nós, tão perdidos nessa estrada...
devorados pela esfinge por não termos decifrado seu enigma, seguimos...
todo garbosos, desconhecendo as chagas abertas em nossos corpos fatigados,
chorando, porém, pretenciosamente orgulhosos de nosso amor menor, incapaz de trazer a paz.


Que venha o despertador desassossego!


2 comentários:

Coutinho Sagrada e campos disse...

O desassossego, explícito na carne dos olhos de minha retina retine como luzes no fundo nada calmo do meu olho que vê tudo em câmera lenta, linda imagem que quase me seduz ao fim do filme de uma vivência momentânea.
Fico atônito
fico afônico
biotônico fonte de ouro.
Fico como estava no momento da partida de um grande amigo que não verei mais, chorando copiosamente, cópias de um texto não lido, sabido, instigante, medroso, tinhoso, malandro na alma de mim.
Fico por aqui...
Carlos Wagner

Armando Franz Soares disse...

Hoje o meu amor é pura saudade!...Tia,tio,Zé,Newton! Se existisse um jeito gostaria de dizer "muito obrigado"!

Todos novos em Capetinga

Todos novos em Capetinga
Olha aí o pessoal lá de antes...

O lobo da estepe - Hermann Hesse

  • O lobo da estepe define minha personalidade de buscador

ShareThis