domingo, abril 25, 2010

Adeus à Anália

Desta vez o coração de amor de Anália não suportou...Todos nós, seus filhos, não só os biológicos, pois ela parecia mãe de todos, sabemos do quanto sua vida foi rica de tudo. Temos, muito claro, que ela foi fundo naquilo que acreditava, a vida plena, amou, chorou, se zangou, se indignou, mas sobretudo, tentou ser alguém melhor. E se alguém cobrar, pode dizer, ela valorizou a vida, dedicou-se em ser fraterna, solidária e simples. Sua semente, plantada em cada um de nós, se madura, deve brotar em frutos do Bem.  Permanecendo a verdade de que colhemos aquilo que plantamos, vem a certeza de que Anália estará entre os bons.
Vai com Deus


Fio disse:
Meus queridos Coutinho Campos.

Hoje foi um dia difícil para todos nós. Os filhos biológicos e os agregados do casal Hermélio e Anália. Qualquer coisa que se escrever a respeito da influência desta família na vida daquele imenso grupo de amigos/irmãos da rua Pitangui e adjacências será infinitamente pequeno. O carinho com que Anália criou seus filhos (todos nós) é de uma grandeza que só se explica pelas emanações de uma era nova. Anália é a representação prática do Aguadeiro do amor jorrado por todo o sempre sobre nós. Está cravado em nossos corações. E por esta liderança que se firmou na nossa memória, pudemos buscar a liberdade, o novo. Pudemos acreditar que apesar daqueles tempos de ditadura militar, havia um sopro imenso de esperança no ar. Pudemos viver intensamente a vida e buscar, buscar, buscar... E pudemos acreditar no amor. Pudemos viver o amor amparado no exemplo de sabedoria e tolerância do Casal Hermélio e Anália.
Hoje que Anália se projetou em outras esferas, sinto com o coração apertado, que aprendemos muito e encontramos o caminho. E o caminho só se encontra na liberdade. Somente com a alma aberta para viver a liberdade se pode realmente experimentá-la.
Anália, a partir do exemplo de liberdade e amor que você nos ofertou, foi possível acreditar que poderíamos empreender um caminho bem diferente do costumeiro em nossa sociedade.
E o que nos resta é expressar nossa gratidão.

Fio





Roberto Dias disse...

Mais uma vez a vida nos prega uma peça e joga novamente por terra todo o conceito que eu tinha sobre a imortalidade,infelizmente.
Dizer o que. Não existem palavras para descrever o que essa PESSOA representou na minha vida. Me resta deixar minha solidariedade a todos.
Abtaços

Roberto Dias disse...

É uma pena que recebamos certas noticias dessa maneira inesperada e fria. Desafio alguém para falar um senão a respeito dessa mulher maravilhosa. O céu vai ficar muito mais rico.
Saudades de todos.

6 comentários:

antonio disse...

Meus queridos Coutinho Campos.

Hoje foi um dia difícil para todos nós. Os filhos biológicos e os agregados do casal Hermélio e Anália. Qualquer coisa que se escrever a respeito da influência desta família na vida daquele imenso grupo de amigos/irmãos da rua Pitangui e adjacências será infinitamente pequeno. O carinho com que Anália criou seus filhos (todos nós) é de uma grandeza que só se explica pelas emanações de uma era nova. Anália é a representação prática do Aguadeiro do amor jorrado por todo o sempre sobre nós. Está cravado em nossos corações. E por esta liderança que se firmou na nossa memória, pudemos buscar a liberdade, o novo. Pudemos acreditar que apesar daqueles tempos de ditadura militar, havia um sopro imenso de esperança no ar. Pudemos viver intensamente a vida e buscar, buscar, buscar... E pudemos acreditar no amor. Pudemos viver o amor amparado no exemplo de sabedoria e tolerância do Casal Hermélio e Anália.
Hoje que Anália se projetou em outras esferas, sinto com o coração apertado, que aprendemos muito e encontramos o caminho. E o caminho só se encontra na liberdade. Somente com a alma aberta para viver a liberdade se pode realmente experimentá-la.
Anália, a partir do exemplo de liberdade e amor que você nos ofertou, foi possível acreditar que poderíamos empreender um caminho bem diferente do costumeiro em nossa sociedade.
E o que nos resta é expressar nossa gratidão.

Fio

Coutinho Sagrada e campos disse...

Lindas palavras, Fio, expressou o que sentimos.
Muito obrigado.

Anônimo disse...

Fio,

Que maravilhosas palavras, e como sinto que brotam do fundo do seu coração! É muito bom tê-los como irmãos "agregados", pessoas de tão sensível percepção das coisas grandes e de real valor!

Muito obrigada!

Cláudia.

Roberto Dias disse...

Mais uma vez a vida nos prega uma peça e joga novamente por terra todo o conceito que eu tinha sobre a imortalidade,infelizmente.
Dizer o que.Não existem palavras para descrever o que essa PESSOA representou na minha vida.Me resta deixar minha solidariedade a todos.
Abtaços

Roberto Dias disse...

É uma pena que recebamos certas noticias dessa maneira inesperada e fria.Desafio alguém para falar um senão a respeito dessa mulher maravilhosa.O céu vai ficar muito mais rico.
Saudades de todos.

Coutinho Sagrada e campos disse...

Roberto,
e aí? Muita força para você.
Obrigado pelas palavras, que são verdadeiras, com certeza.
Tentei falar com você em seu celular. Não consegui. Sabia que você teria estado lá, e na verdade esteve, o tempo todo.
Te amamos sempre.
Abraços

Todos novos em Capetinga

Todos novos em Capetinga
Olha aí o pessoal lá de antes...

O lobo da estepe - Hermann Hesse

  • O lobo da estepe define minha personalidade de buscador

ShareThis